Igreja Santa Clara de Assis. Arq Eduardo Faust

Distando cerca de 178 km da capital, a diocese de Caraguatatuba situa-se no litoral norte do estado de São Paulo, pertencendo à Mesorregião do Vale do Paraíba, sob a administração do Bispo Dom José Carlos Chacorowski. Dentro da diocese a paróquia Exaltação da Santa Cruz na cidade de Ubatuba inicia sua história no século XVIII com sua matriz construída ao longo do século XIX.

A partir de 1954 a Ordem dos Franciscanos Menores Conventuais passa a administrar a paróquia que hoje conta com 5 comunidades. No bairro Sesmaria está uma destas comunidades denominada Igreja Santa Clara.

A irmã Santa Clara de Assis (Chiara D’Offreducci), nascida em 1194, em Assis, Itália, foi uma discipula direta de São Francisco de Assis. Cononizada em 1253 sendo o lado feminino dos Franciscanos ela fundou a Ordem Franciscana Clarista (Ordo sanctae Clarae OSC).

Pároco Frei Wilmar Villalba e a comunidade Santa Clara de Assis.

O bairro Sesmaria em Ubatuba é uma localidade com uma população atualmente de baixo poder aquisitivo, entendendo a economia local, os moradores logo na primeira reunião já haviam previamente feito uma pesquisa e decidido por votação, que a técnica construtiva mais viável para sua igreja é a estrutura de eucalipto roliço.

No interior do estado de Santa Catarina e Paraná na região de colonização Ucraniana e Polonesa encontra-se um acervo de arquitetura sacra feita em madeira, com destaque as Igrejas de Mallet PR e Itaiópolis SC. Porém nenhuma delas é construída com estrutura de madeira roliça.

Particularmente eu já havia pesquisado muito a técnica construtiva em madeira roliça e projetado um portal de entrada em navegantes SC e uma casa que não foi executada, mas uma igreja nunca. Fui pesquisar a respeito algumas igrejas pelo mundo e encontrei somente de bambu que possui outra forma de pensar a estrutura. Logo, mesmo sendo uma técnica bastante comum no Brasil e com um ótimo custo benefício, em Igrejas é pouco utilizada.

Meu conceito básico para linguagem sacra é respeitar os 17 séculos de cultura arquitetônica católica. Entendendo que o românico ou o renascimento são tão contemporâneos quanto o modernismo ou o art déco. A ideia é dar continuidade aos padrões instituídos pela arquitetura sacra.

Dito isto temos uma técnica construtiva pouco usual nesta tradição sacra católica, logo minha ideia foi aproximar esta técnica ao formato mais utilizado ao longo da história – o formato de basílica de pequeno porte.  

Esquema Basílica. Arq Eduardo Faust
Arcada e deambulatório da Basílica de Saint Denis. Foto Arq Eduardo Faust

Resumi para esta Igreja uma planta com: nave central; duas naves laterais; o presbitério – que está inserido na abside – em torno dele, um deambulatório que nos leva as capelas de Nossa Senhora e de Santa clara, que emolduram a capela central do Santíssimo.

O presbitério ao centro com os bancos fixos nos remete ao presbitério monolítico paleocristão com banco para concelebrantes contínuo como extensão da sédia.  

Presbitério da Basílica de São Vital em Ravenna Itália. Foto Arq Eduardo Faust

O esquema estrutural da Igreja também é uma releitura do tradicional esquema das basílicas de pequeno porte com naves laterais e uma nave central com pé direito mais alto, separadas por uma arcada e sobre esta arcada um clerestório.

Esquema Basilica. Arq Eduardo Faust

Igreja Santa Sabina 432. Roma Itália. Foto Arq Eduardo Faust
Esquema estrutural das madeiras roliças. Arq Eduardo Faust

No clima tropical litorânea a maior parte dos dias é quente e os ventos são abundantes. Isto faz com que a ventilação cruzada seja a alternativa indicada, incluso deve-se aproveitar o vento fresco durante as chuvas.

Neste caso pensei o clerestório para a além da sua função de entrada de luz, aqui ele está a serviço da ventilação cruzada. O beiral o protege das chuvas e do sol, para que a janela (clerestório) possa estar sempre aberta auxiliando o escape do vento quente gerado no interior da igreja.

Mesmo caso acontece com o nartéx que se estendendo pelas laterais da igreja cobre as aberturas protegendo-as das intemperes. Na fachada frontal o nártex auxilia que o sacerdote possa fazer a acolhida protegido do forte sol.

Outro elemento das Basílicas é a semicúpula sobre a abside, neste caso criei um delicado ripado que aproveita a estrutura curva do telhado, evidenciando a volumetria da semicúpula ogival.

Numa tentativa de invasão da cidade de Assis por bárbaros, irmãs correram até a Irmã Clara que estava acamada doente. Ela buscou o cibório de marfim que continha a sagrada eucaristia e o conduziu até a porta do pátio central, após fazer pedidos ao Senhor pareceu-lhe ouvir uma voz: – Eu sempre as guardarei e defenderei! Aqueles homens que não recuavam nem diante de batalhões, empurram-se e fogem.

Acima o trecho que resumi do livro Santa Clara de Assis de Hugo Baggio, esta passagem da origem ao ícone de Santa Clara erguendo um ostensório com uma de suas mãos.

Na fachada a cruz central tem o formato de um ostensório fazendo referência a este milagre de Santa Clara. Esta cruz com outras duas, somam as 3 cruzes, que simbolizam os 3 conselhos evangélicos franciscanos: Pobreza; Obediência; Castidade.

O jovem Francisco numa crise espiritual, entra na igrejinha de São Damião, onde se prostra, diante do Crucifixo. A imagem de Cristo lhe fala: “Francisco, vai e repara minha casa que está em ruína”.

Em seus milagres São Francisco fazia o sinal do Tau sobre os ferimentos. “Com ele selava as cartas e marcava as paredes das pequenas celas” cf.LM4,9;2,9;3Cel3

Mobiliário litúrgico foi desenvolvido sobre o desenho da letra grega Tau.

Fontes de pesquisa:

Província Franciscana Imaculada Conceição do Brasil. Site franciscanos.org

BAGGIO, Hugo D. Santa Clara de Assis

ZANGIÁCOMO, A.L. Estudo de elementos estruturais roliços de madeira. 2007. 140 p. Tese (Doutorado em Engenharia de Estruturas) -Universidade de São Paulo, São Carlos, 2007

RANTA-MAUNUS, A. Round small-diameter timber for construction:final report of project FAIR CT 95-0091. Espoo: Technical Research Centre of Finland, 1999. 210 p. Disponível em: http://www.vtt.fi/inf/pdf/publications/1999/P383.pdf

COOK, J. Explorations of roundwood technology:RMRS-P-22. Disponível em: http://www.fs.fed.us/rm/pubs/rmrs_p022/rmrs_p022_166_170.pdf

Arq Eduardo FAUST